Postagens

1 Coríntios 13: O Amor (A Mensagem)

Imagem
Se eu falar com eloquência humana e com êxtase própria dos anjos e não tiver amor, não passarei do rangido de uma porta enferrujada.

Se eu pregar a Palavra de Deus com poder, revelando todos os mistérios e deixando tudo claro como o dia, ou se eu tiver fé para dizer a uma montanha: “Pule!” e ela pular e não tiver amor, não serei nada.

Se eu der tudo que tenho aos pobres e ainda for para a fogueira como mártir, mas não tiver amor, não cheguei a lugar algum. Assim, não importa o que eu diga, no que eu creia ou o que eu faça: sem amor, estou falido.

O amor nunca desiste.
O amor se preocupa mais com os outros que consigo mesmo.
O amor não quer o que não tem.
O amor não é esnobe,
Não tem a mente soberba,
Não se impõe sobre os outros,
Não age na base do “eu primeiro”,
Não perde as estribeiras,
Não contabiliza os pecados dos outros,
Não festeja quando os outros rastejam,
Tem prazer no desabrochar da verdade,
Tolera qualquer coisa,
Confia sempre em Deus,
Sempre procura o melhor,
Nunca olha p…

Hit do momento: "Senhorita" da dupla Victor e Leo

Imagem
Esse clipe da música "Senhorita" da dupla Victor e Leo​ tá super um máximo. Vale a pena conferir!

Kiyoshi Hikawa, o Príncipe da Música Enka: esse cara é muito amor!

Imagem
Eu adoro música popular japonesa, de preferência a música enka (e sou a primeira brasileira a curti-la). E você sabe o que é isso?
Enka (em japonês: 演歌) é um estilo de música japonesa que é uma mistura de sons tradicionais japoneses com melodias ocidentais, principalmente de influência americana. Porém foi criada entre a Era Meiji e Era Taisho, como uma forma de música de protesto.

O termo enka (演 = "atuar" / 歌= "canção") se formou originalmente na era Meiji, e começou como uma forma de expressão de desacordo político - discursos em forma de música para fazê-los mais atraentes - porém sua forma mudou rapidamente. Foi o primeiro estilo à sintetizar as melodias japonesas com as harmonias ocidentais para criar um novo estilo musical. Entre vários cantores desse gênero, o mais famoso atualmente é o Príncipe do Enka: Kiyoshi Hikawa. Na primeira vez que eu fui o Bairro da Liberdade em São Paulo (foi em 2014), o que encontrei na banca de revista da Praça da Liberdade foi…

Urashima Taro

Imagem
Há muito tempo, existia um rapaz chamado Urashima Taro. Um dia, ele estava caminhando pela praia e se deparou com um tumulto de crianças. O rapaz viu que as crianças pegaram uma tartaruga e começaram a bater e a maltratar o animal.  Urashima Taro disse: "Não se deve praticar tamanha crueldade!" As crianças responderam: "Não importa, nós a capturamos!" e não queriam ouvir. Urashima Taro disse: "Então vendam essa tartaruga para mim!" e comprou a tartaruga. Ele acariciou as costas do animal, disse-lhe que não seria capturado novamente e devolveu-o ao mar. Passaram-se dois ou três dias, e quando Urashima Taro saiu para pescar como sempre, ouviu alguém chamá-lo pelo nome. Quando olhou para trás, viu uma tartaruga gigantesca que veio nadando próximo ao barco, e fez-lhe uma breve saudação. A tartaruga disse: "Obrigada por ter salvado minha vida; como agradecimento, eu gostaria de convidá-lo para conhecer o palácio do fundo do mar" e pediu para Urashim…

Bora dançar?

Imagem
E o resultado foi mesmo um trio de música latino-americana, rítmica e contagiante que hoje em dia está esquentando nosso verão!   - Los Tres Maneros, parte de Contos e Temas-Livres; Tatianna Raquel

Vamos aproveitar esse dia maravilhoso pra você dançar ao som desses ritmos contagiantes que a gente preparou pra você!
Hula Hoop (Daddy Yankee)



Taquitá (Cláudia Leite)





Te Quiero de Amor (Itoshi no Te Quiero) (Kiyoshi Hikawa)

Música que inspira: "Otokobana" (Kiyoshi Hikawa)

Imagem
Beleza cavalheiresca (男花 Otokobana), composição de Akira Umehara, é um megahit do cantor japonês Kiyoshi Hikawa e essa fala de determinação, influenciada pelo azul do mar.  Só pra se ter uma ideia, Otokobana contém o som ritmico do taiko, que representa o balanço dos oceanos (a música começa, prossegue e termina com essa percussão tocada no decorrer da faixa). Dizem por aí que ora representa o chamado do mar (para os nossos japoneses), ora o canto da sereia (para nós)! Se você prestar atenção nesse tum-tum-tum do taiko que toca nessa música, você nota o quão ritmica é a batida dele próprio e o quão encantador é o modo como atrai quem gosta de ser determinado. 
Otokobana tem 2 versões. A versão do álbum (que contém 2 versos e uma conclusão) entrou na primeira a ir para as lojas e plataformas digitais (é a faixa 4 do CD Shin - Enka Meikyoku Collection: Sasurai Bojou, lançada em 8 de julho de 2015). Algumas semanas depois, os fãs queriam que essa música fosse um single, contanto que tives…

Feliz Páscoa!

Imagem