Palestra 03: "Um ato de heroismo em massa"

Mas, com Mayra e Roland ao seu lado, Louis mostrou que o G3 foram (e ainda são) herois de verdade!

- Heart2Heart: A Esperança Heroica


Em pleno século 21, com a globalização da internet, um ato de heroísmo pode ser mostrado em tempo real, conforme assistimos no site de notícias, como a BBC News e o G1. Eu me lembro que, em 1990, quando a Guerra do Golfo eclodia, eu assisti a notícia chocante nos telejornais, mas pela tevê (naquela época, 1990, não havia TV em alta definição nem internet, só havia tevê tubular padrão). Aquele fato baseou meu terceiro conto (só mais tarde os ataques de 11 de setembro de 2001 serviram de inspiração para A Esperança Heroica da minha autoria, o mesmo citado acima). 

Ora, como um ato de heroismo ocorre a cada segundo mundo afora? Vejamos o exemplo.

O GRUPO DOS 3

Mayra, embaixatriz e herdeira do trono de Anmel, é conhecida como O Anjo da Paz. Ela conheceu o Primeiro-Ministro das Relações Exteriores Louis Springton em visita a Israel e o então Príncipe (e atual Rei) Roland de Lazínia em visita ao Kuwait. Nessa época, já ocorria a Guerra do Golfo no Iraque, Kuwait, Arábia Saudita e Israel (que terminou com a vitória da Coalizão). Eles formavam o G3 (ou Grupo dos 3), que pôs um fim a essa guerra. O plano deu certo, mas 10 anos depois, quando Tracey (a esposa de Louis) morreu na Torre Norte do World Trade Center destruída pelos ataques de 11 de setembro de 2001, Louis ficou arrasado com a morte da esposa dele. Para impedir esse terrorismo alheio, ele trouxe Mayra e o atual Rei Roland para retomar o G3. Dois anos depois de salvar 12 pessoas, o Grupo dos 3 enviou um e-mail as forças especiais dos EUA, dizendo: "Queremos Saddam Hussein morto agora!" Eles atenderam o pedido do G3 e mataram o ditador do Iraque! Quando finalmente chegaram ao prédio das Nações Unidas, Mayra, Roland e Louis foram bem recebidos como herois. 

Viu? Um ato de heroísmo pode salvar o mundo e muitas vidas, conforme ocorreu com um voluntário "Capacete Branco" na Síria (via G1):

Um voluntário do grupo sírio Capacetes Brancos foi filmado chorando enquanto ajudava a levar um bebê de cerca de um mês de vida a um hospital. Abu-Kifah passou horas escavando escombros para resgatar a criança após um bombardeio na cidade de Idlib.

No vídeo, ele aparece chorando enquanto carrega a menina no colo para dentro de uma ambulância, onde socorristas limpam o rosto dela, coberto de poeira, e colocam curativos em seus ferimentos. A criança permanece acordada e chora durante os procedimentos.

Abu-Kifah é visto ainda correndo ao chegar a um hospital para que o bebê seja atendido com urgência. Ele coloca a menina em uma maca e, depois, entrevistado por um repórter, diz que se sentiu como se ela fosse sua própria filha.

Segundo a CNN, ele e mais três ou quatro voluntários ajudaram a resgatar a família, e todos sobreviveram.

E não é só por lá: atos heroicos acontecem em todo o mundo, quando queremos salvar uma pessoa do afogamento ou do escombro ou do acidente. Qualquer que seja a situação, um ato de heroismo é um ato de coragem.

Fonte: G1 http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/09/voluntario-chora-apos-resgatar-bebe-de-escombros-na-siria.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palestra 30: "Nas asas do pássaro azul, a alegoria da felicidade em massa"

Palestra 16: "Cinquenta tons de Kama Sutra"

Palestra 20: "Uma amizade que veio do mar"