Palestra 21: "Audaciosamente indo aonde fábula nenhuma jamais esteve"

Como eu vejo a Enterprise... aos meus olhos, 
Sob o comando do Capitão apaixonado pelo mar, 
Onde também tenha um vulcano plenamente lógico, 
Um oficial-médico chefe, 
Uma afrotenente e um engenheiro escocês de sotaque dórico, 
Um timoneiro asiático e um navegador russo de São Petersburgo, 
E o resto da tripulação da nave. 

Gostaria de ver a Enterprise e ser a comandante 
Pra comandá-la com o coração 
E navegar num mar estrelado 
E ir audaciosamente aonde ninguém tem ido antes.

- Como eu Vejo a Enterprise... Aos Meus Olhos

Quando eu tinha 13 anos, eu assisti a série de tevê Jornada nas Estrelas: A Série Clássica (CBS Television Studios; 1966-1969, 79 episódios) e adorei a série toda que nos anos seguintes assisti alguns de seus longas e séries derivadas. Em 1994 eu assisti Star Trek: Generations (1994) no Cine Roxy. E também assisti Além da Escuridão: Star Trek (Star Trek: Into Darkness, 2013) menos de 20 anos depois no mesmo cinema. A façanha foi tanta que acabei virando fã de carteirinha de um dos filmes de J. J. Abrams! Isso me incentivou a escrever o conto "Como eu vejo a Enterprise... Aos meus Olhos". Pra quem não sabe, vou te contar!

Star Trek (no Brasil, Jornada nas Estrelas) é uma série de televisão norte-americana de ficção científica criada por Gene Roddenberry, produzida pela Desilu Productions (mais tarde pela Paramount Television) e exibida pela NBC de 8 de setembro de 1966 até 3 de junho de 1969.

Apesar de seu título ser Star Trek, adquiriu o retrônimo de Star Trek: The Original Series para se diferenciar de suas sequências e do universo ficcional criado. Ela se passa no século XXIII. A série segue as aventuras da tripulação da nave estelar USS Enterprise, comandada pelo Capitão James T. Kirk, o Primeiro Oficial Comandante Spock e o Oficial Médico Chefe Leonard McCoy. O monólogo de introdução narrado por William Shatner em cada episódio estabelece o propósito da nave:

Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Em sua missão de cinco anos... para explorar novos mundos... para pesquisar novas vidas... novas civilizações... audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve.

Quando Star Trek estreou na NBC em 1966 não foi um sucesso. Inicialmente, seus Nielsen Ratings foram baixos. Antes do final da primeira temporada, alguns executivos da NBC queriam cancelar o programa devido aos seus indíces baixos de audiência.

Ao final de sua segunda temporada, a série foi quase cancelada novamente. Devido a uma campanha dos fãs, a série recebeu uma terceira temporada, porém a NBC mudou o dia de exibição para o "horário da morte" de sexta-feira, 22:00. Star Trek foi cancelada ao final de sua terceira temporada depois de 79 episódios. Entretanto, isso foi o suficiente para o programa ir para a sindicação, permitindo se tornar extremamente popular com reprises durante a década de 1970. O sucesso do programa foi seguido por outras cinco séries de televisão e onze filmes. O Guinness World Records reconhece Star Trek como a série de televisão com o maior número de spin-offs da história.

No meio da década de 1970, encorajado por uma base crescende de fãs, Roddenberry procurou criar uma segunda série de televisão de Star Trek (Star Trek: Phase II). A tentativa abortada se transformou no filme Star Trek: The Motion Picture em 1979. O filme for suficientemente bem na bilheteria para ser seguido por vários filmes na década de 1980. Em 1987, Roddenberry criou uma segunda série de Star Trek chamada Star Trek: The Next Generation, que se passava abordo da nave estelar USS Enterprise (NCC-1701-D), mais de 70 anos após a série original. Diferentemente da série original, que refletia a filosofia intervencionista americana, a The Next Generation tinha uma mensagem menos agressiva e mais liberal. Este programa, diferente de seu predecessor, foi transmitido por sindicação e vendido a várias transmissoras de TV ao invés de uma única. Se tornou extremamente popular, durando sete temporadas, recebendo duas sequências, uma prequela e quatro filmes.

Star Trek e seus spin-offs provaram ser extremamente populares nas reprises, sendo mostradas repetidamente nos Estados Unidos e no mundo. A franquia Star Trek é similarmente prolifíca. Apenas Star Wars teve uma influência tão significativa como ficção científica no fenômeno da cultura popular. A franquia Star Trek teve:

- cinco séries que venceram 31 Emmy Awards de 140 indicações; 
- onze filmes que acumularam aproximadamente US$ 2.145 bilhões nas bilheterias, com o de maior sucesso sendo Star Trek (2009) com US$ 385 milhões e, depois de um acumulado de 9 indicações, foi o primeiro filme da franquia a vencer um Oscar, na categoria de Melhor Maquiagem; 
- 70 milhões de livros impressos; 
- 120 CDs e 40 videogames com o título de Star Trek.

As convenções de Star Trek se tornaram extremamente populares. Seus fãs criaram termos "trekkies" e "trekkers" para descreverem a si mesmos.

A influência cultural do programa vai além de sua longevidade e lucratividade. Uma subcultura inteira cresceu ao redor do programa, há indicações que Star Trek influênciou a vida de muitas pessoas. Muitos engenheiros, cientistas e médicos dizem que suas escolhas profissionais foram influenciadas por Star Trek. O inventor do primeiro celular não-veícular, Martin Cooper, diz que foi motivado a criar o aparelho após assistir a série. Além disso, frases como "Resistir é inútil" e as baboseiras tecnológicas entraram no cotidiano. Palavras da série, incluindo Klingon, foram adicionadas ao Oxford English Dictionary. Aparelhos ficcionais do programa são citados como influência para muitos dos aparelhos atuais, como o celular (comunicador).

Há um consenso que a partir da década de 1990 a franquia começou a decair em qualidade devido a sua exploração excessiva pela Paramount, com a produção de muitos spin-offs sendo realizados ao mesmo tempo. Muitos acharam que após o fracasso e o cancelamento de Star Trek: Enterprise em 2005 a franquia tinha chegado ao sem fim. Porém, com o lançamento do filme Star Trek, em 2009, e seu sucesso entre críticos e fãs, muitos comentaram que a franquia foi renovada e tinha um futuro novo e brilhante à frente.

OS SEIS TREKKERS CURIOSOS

Ron, Winnie, Charissa, Tequan, Seth e Molly são 6 fãs da franquia Star Trek. Certa ocasião, Charissa enviou 2 convites para assistir o filme Além da Escuridão: Star Trek, um deles foi para o ator Leonard Nimoy, que fez o último trabalho dele em 2013. O que ninguém sabia era que Len e o amigo dele, Bill teriam compromisso com seus novatos, os atores Chris Pine e Zachary Quinto, em plena balada pós-estreia, ocorrida em 17 de maio daquele mesmo ano! Assim, ela se juntou a Ron, Winnie, Tequan, Seth e Molly para organizar uma festa de arromba. Mal tinha acabado a festança, os seis foram ajudados por Shanta, que lhes dizem que a turma dos 6 foi escolhida para assistir o mesmo filme na faixa. E eles puseram isso em prática e logo mais eles viram a Enterprise sobrevoando Los Angeles! Não demorou muito e logo fizeram uma festa junto a galera da franquia, em especial o Sr. Nimoy. Foi uma ocasião muito especial. Leonard Nimoy, infelizmente, faleceu em 27 de fevereiro de 2015, vítima da DPOC.

Ao longo das cinco últimas décadas, Star Trek deixou de ser apenas um programa de televisão para se tornar parte da cultura popular americana e mundial. E quem já assistiu a série pela televisão, vai assisti-lo de novo. Em tempo: Vida longa e próspera! 

Fonte: Wikipédia




NOGUEIRA, Salvador; ALEXANDRIA, Susana; Almanaque Jornada nas Estrelas. Editora Aleph, 2009. ISBN 9788576570745


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça Ritinha, a mais linda das sereias da novela "A Força do Querer"

Palestra 30: "Nas asas do pássaro azul, a alegoria da felicidade em massa"

Palestra 16: "Cinquenta tons de Kama Sutra"